terça-feira, 29 de setembro de 2009

Aquele sobre Minha Mãe

Parabéns!!!
Não sabia como começar. Queria apenas que soubesse o quanto te amo, o quanto sou grata, o quanto me orgulho, o quanto te quero bem, feliz, realizada...
Tanta quantidade, mas e qualidade? Eis, aí algo que ela sempre nos ensinou: qualidade.
"Se vai fazer algo, faça direito, dê o melhor de si", ela sempre diz.
" Aja de modo que as pessoas se orgulhem de tê-la por perto, que sua ausência seja sentida e sua presença requerida", ela sempre frisou isto.
Minha Mãe, é mulher amável, guerreira, exemplar, justa, divina, sofrida, vó coruja...
Minha mãe nos apresentou a Deus e ainda hoje nos convida a deixá-lo participar de nossas vidas,
"Sem ele nada posso, nada faço"...
Minha mãe ensinou-me muita coisa, disse-me que uma boa pessoa você reconhece pelo modo como trata sua própria mãe, como trata o garçom, como trata aquele que por qualquer motivo é diferente de você.
Minha Mãe, Dona Josileide, Jó, Beta, D. Beta aprendeu muito nesta vida e ensinou bastante, ensinou a ler, a escrever - os filhos delas e os dos outros-
Adoro quando conta histórias de sua infância ou adolescência, ah! Minha Mãe, ela era nócega, daquelas obstinadas que dão nó em pingo d´água.
Não leva desaforo pra casa, mas leva um coração entristecido pelas tristes coisas que presencia em sua profissão, a qual tem muito orgulho, faz piada é verdade, mas nasceu pra fazer isso, Professora, assim mesmo mainha nasceu para ensinar, ensinar aos delas e aos dos outros que família é a melhor coisa do mundo, " família espeta, mas não assa", " ela relembra sempre.
Mainha só precisa aprender que o Mundo ainda é dela, que pode fazer o que quiser, quando quiser,...
Amo-te mainha.
Obrigada.


quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Aquele sobre... Ouro? Tolo?

Eu devia estar contente
Porque eu tenho um emprego
Sou um dito cidadão respeitável
E ganho quatro mil cruzeiros por mês
Eu devia agradecer ao Senhor
Por ter tido sucesso na vida como artista
Eu devia estar feliz
Porque consegui comprar um Corcel 73
Eu devia estar alegre e satisfeito
Por morar em Ipanema
Depois de ter passado fome por dois anos Aqui na Cidade Maravilhosa
Ah! Eu devia estar sorrindo e orgulhoso
Por ter finalmente vencido na vida
Mas eu acho isso uma grande piada
E um tanto quanto perigosa
Eu devia estar contente
Por ter conseguido tudo o que eu quis
Mas confesso abestalhado
Que eu estou decepcionado
Porque foi tão fácil conseguir
E agora eu me pergunto: E daí?
Eu tenho uma porção de coisas grandes
Pra conquistar, e eu não posso ficar aí parado
Eu devia estar feliz pelo Senhor Ter me concedido o domingo
Pra ir com a família ao Jardim Zoológico
Dar pipoca aos macacos
Ah! Mas que sujeito chato sou eu
Que não acha nada engraçado
Macaco praia, carro, jornal, tobogã
Eu acho tudo isso um saco
É você olhar no espelho se sentir um grandessíssimo idiota
Saber que é humano, ridículo, limitado
Que só usa dez por cento de sua Cabeça animal
E você ainda acredita que é um doutor, padre ou policial
Que está contribuindo com sua parte
Para nosso belo quadro social
Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada cheia de dentes
Esperando a morte chegar
Porque longe das cercas embandeiradas que separam quintais
No cume calmo do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora de um disco voador
Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada cheia de dentes
Esperando a morte chegar
Porque longe das cercas embandeiradas que separam quintais
No cume calmo do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora de um disco voador

[Ouro de tolo- Raul Seixas]

Aquele sobre o "Sábio"



Era uma vez
Um sábio chinês
Que um dia sonhou
Que era uma borboleta
Voando nos campos
Pousando nas flores
Vivendo assim
Um lindo sonho
Até que um dia acordou
E pro resto da vida
Uma dúvida lhe acompanhou:
Se ele era um sábio chinês
Que sonhou que era uma borboleta,
Ou se era uma borboleta sonhando
Que era um sábio chinês
Se ele era um sábio chinês
Que sonhou que era uma borboleta,
Ou se era uma borboleta sonhando
Que era um sábio chinês

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Aquele sobre "O Terceiro mundo piada no exterior"

Tinha que dividir com alguém...
Só um pouco de informação.
Trabalhar muito pode ser prejudicial.
"Homenagem para todos. Desde a semana passada, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara está fazendo um mutirão para aprovar projetos que criam datas comemorativas. Alguns exemplos do que já foi aprovado: Dia do Macarrão, Dia do Motorista de Ambulância, Dia da Parteira Tradicional,
Dia do Calcário Agrícola, Dia do Tambor de Crioula, Dia das Hemoglobinopatias, entre outros.
O Globo conta que ontem, com a pauta cheia, a CCJ debateu por duas horas a criação do Dia Nacional do Jogo Limpo contra o Doping nos Esportes. “Viramos câmara de vereadores. Com tantas questões importantes a serem debatidas”, disse Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ). Nesta quinta, mais 12 projetos serão discutidos."


Extraído da coluna O Filtro da Época on line. Publicado no dia 27.08.09
http://colunas.epoca.globo.com/ofiltro/


"Terceiro Mundo se for
Piada no exterior
Mas o Brasil vai ficar rico... "
[Que país é esse? - Renato Russo]

"...Brasil
Mostra tua cara
Quero ver quem paga
Pra gente ficar assimBrasil
Qual é o teu negócio?
O nome do teu sócio?
Confia em mim.."
[Brasil - Cazuza]

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Aquele sobre Cora Coralina

"Não sei... Se a vida é curta
Ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos

Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo,
É o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
Não seja nem curta,
Nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira, pura... Enquanto durar"

terça-feira, 28 de julho de 2009

Aquele em que os anos passaram enquanto eu dormia*




Estou assim.
Segunda-feira e eu não queria me levantar da cama.
Esperei o dia acabar, mas...
Hoje. Terça-feira.
O dia inteiro com aquela sensação de que perdi alguma coisa.
Uma festa. Um amigo. O emprego. O ânimo.
Talvez a razão. Talvez o o gosto pelas coisas.
Certamente apenas o ânimo.
Graças a Deus todos estão comigo. Família, amigos, namorado e o emprego.
Ah! o emprego. Cheguei a um ponto. Final?
Sonhei muito.
Fiz inúmeros planos e projetos. Raul, o Seixas, diria que foram planos de papel.
Concordo com ele.
Há quem diga que é apenas uma crise tepeêmica. Estou confiante nisso, embora descrente.
O que eu fiz todos esses anos?
É com esta sensação que ainda estou.
Ela me persegue. Não quer sair daqui.
Sei lá.
Amanhã...

*Não vou me adaptar [Titãs]

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Aquele Do Dia do Amigo


Não sei escrever bem.
Leio muito. Grandes autores, renomados e desconhecidos.
Leio desde bula de remédio a clássicos nacionais ou literatura estrangeira.
Mas não sei escrever. Ponto final.
Então estou aqui para agradecer-lhes.
Agradecer a cada um dos meus queridos Amigos.
Aqueles que me ensinam coisas boas e coisas bobas.
Aqueles que me chamam de Daninha, baixinha, pingo de gente e por ai vai.
Aqueles que trazem café pra mim embaixo de uma chuva torrencial durante uma aula na faculdade.
Aqueles que me convidam para uma festa, me pegam em casa, pagam a minha parte da conta e ainda me levam em segurança de volta a minha humilde residência.
Aqueles que sempre lembram do meu aniversário mesmo que só liguem dias depois.
Aos que fazem tortas e salgados deliciosos e vão lá em casa só pra eu provar.
Também tem os que me ouvem reclamar de minhas bobagens e riem de minhas piadas sem graça.
Aos amigos de sangue e aos de coração.
Aos novos e aos velhos amigos.
Parodeando Vanessa, outra vez, amigo não é uma questão de tempo e sim de compreensão.
Aqueles sem os quais meus dias não teriam a menor graça, o menor brilho e cor.
Obrigada, gente!
obrigada mesmo.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Aquele do aniversário na Data certa

Então é hoje.
Você também é um daqueles Mestres mencionado anteriormente.
Com você aprendi que o meu mundo pode ser mais tranquilo e firme.
Um mundo em que eu dito as regras, mas sem precisar magoar ninguém.
Um mundo que eu possa conquistar sem me desfazer de ninguém pelo caminho.
Ensinou-me a confiar no meus instintos e no meu coração.
Sempre ler as bobagens que eu escrevo e cura minhas 'pseudo-crises-existenciais' (rsrsrs).
Ensinou-me a não absorver tantas coisas e ainda assim não ser indiferente aos outros,
Disse-me para não me cobrar tanto. Reforça a ideia de que sou determinada, forte, ...
Elogia meu bom-humor mesmo em situaçãoes adversas, chamou-o de 'louvável',
Deu-me livre acesso para 'incomodá-la' quando precisasse e está sempre aqui.
Foi veemente ao dizer: "Você tem que ser o que vc quiser. Não queira fazer tudo diferente ou tudo igual. Queira fazer tudo do seu jeito, do seu modo, a la Daninha..."
Ensinou-me que mesmo quando a situação é ruim, devo me levantar, "me arrumar" e me sentir linda.
Mostrou-me ainda que devemos separar nossos sonhos em duas categorias: real e abstrato e nos agarrar aos dois igualmente, lutar pelo primeiro e se deliciar com o segundo.
Val, você me ensina todo dia alguma coisa. Sempre que converso com você ou leio alguma coisa que você escreveu.
Admiro suas conquistas e sua postura, não é segredo.
Admiro a filha, irmã, neta, prima e esposa que você é. A mãe que você aprendeu a ser.
Mas apesar disso eu admiro a mulher que você é.

Parabéns, minha prima!
Obrigada, Val!

P.S. Ceça não se zangue por favor. Não publiquei a sua na data porque não deu mesmo, tá?
A gente se ama, né?

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Aquele 24 de junho...

A data passou, mas o sentimento continua aqui.

Desculpe-me, deveria ter dito no dia certo, 24 de junho.

Não há justificativa, eu sei, portanto não vou investir muito tempo aqui, há coisas mais importantes para serem ditas.

Sou muito menina, boba e com pouca experiência de vida, mas sempre tive uma sede de aprendizado incomum e tenho sorte, muita sorte.

Pois tenho ao meu lado pessoas grandiosas, seres humanos notáveis, excelentes mestres.

Você é um desses Mestres, me ensinou que a vida é pra ser vivida hoje, como diz o poeta, ‘Vida foi feita pra estar em dia, com a fome’.

Também me mostrou que tristeza pode sim ser dividida, que as lágrimas não precisam escorrer sozinhas.

Ensinou-me a rir das bobagens, a não levar a vida tão a sério, a ter um senso de humor refinado, leve.

Demonstra e defende com verdadeira paixão a família e a importância de estarmos sempre em contato e de nos amarmos.

Deixou claro várias vezes que “homens casados, que falam errado ou tem dentes podres são impróprios para casar”, lembra? Kkkkkkkk

Saía de manhã para trabalhar e sempre nos surpreendia com bilhetes de carinho e dicas como, por exemplo, dar comida ao cachorro, levar ‘sei lá quem’ ao balé e pegar ‘ fulano’ na aula de piano,...

Fazia umas brincadeiras horrorosas com comida que eu não aprovava, mas me deliciava vendo você divertir e perturbar os outros.

Cultivava entre nós brincadeiras antigas, joguinhos de palavras ou cartas estimulando-nos a dizermos o que sentíamos.

Disse-me uma vez que a única pessoa que ficaria conosco para sempre seríamos ‘nós mesmos’, talvez só neste instante tenha se equivocado. Porque você é uma pessoa que ficará com “os seus” para sempre.

Amo-te, Vanessa.

Obrigada, Ceça, minha prima, minha amiga.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Aquele sobre o Dia Dos Namorados


Tá. Este ano estou namorando.
Estranho, não é? Pois, eu acho.
Sou uma pessoa fácil para se relacionar, pelo menos eu acho, mas quando o assunto é relacionamento amoroso...
Tá bom, ta bom. Pronto, confesso: sempre fui arisca e, por favor, nem Freud explica meu caso. Kkkk.
Bom. O fato é que agora estou feliz. Mais tranqüila e segura. Quero viver um dia após o outro. Devagar.
Muitas pessoas, boas pessoas, me ensinaram isso. Deram-me confiança, instigaram minha capacidade de me regenerar, sei lá.
O que eu quero mesmo dizer é que: agradeço a essas boas pessoas: Val, Nêssa, Daniella, Baby, meus tios: Jane e Lindo, Daniel, um grande amigo e, ao meu namorado, que tem adquirido uma paciência gigantesca para lidar comigo. Ele é um homem maravilhoso, um bom filho, irmão, tio, uma boa pessoa.
Eu queria ter postado isso no Dia dos Namorados, mas a correria me impediu.
Ah! Estou trabalhando. Legal, não é? Não simplesmente por estar trabalhando.
Exercer alguma atividade profissional é sempre bom, seja lá por quais motivos: pela mente sã, pelo dinheiro ou para sustentas os vícios,...
Estou fazendo um estágio no campo profissional que escolhi. Dessa maneira, descubro logo se tenho talento para isso ou se vou “fabricar e exportar estrume de beija-flor”, Daniel disse que é um bom investimento, pode ser, kkkkkk.

Bom, queria mesmo agradecer e dizer-lhes que estou bem. Estou feliz.
Obrigada.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Diga Sim Pra Mim*


Eu pensei em comprar algumas flores
Só pra chamar mais atenção
Eu sei, já não há mais razão pra solidão
Meu bem, eu tô pedindo a sua mão

Então case-se comigo numa noite de luar
Ou na manhã de um domingo a beira mar
Diga sim pra mim
CASE-SE COMIGO NA IGREJA E NO PAPEL
VESTIDO BRANCO COM BOUQUET E LUA DE MEL
DIGA SIM PRA MIM
Sim pra mim

Eu pensei em escrever alguns poemas
Só pra tocar seu coração
Eu sei, uma pitada de romance é bom
Meu bem, eu tô pedindo a sua mão

PROMETO SEMPRE SER O SEU ABRIGO
Na dor o sofrimento é dividido
Lhe juro ser fiel ao nosso encontro
Na alegria, felicidade vem em dobro
Eu comprei uma casinha tão modesta
Eu sei, você não liga pra essas coisas
TE DAREI TODA A RIQUEZA DE UMA VIDA
O MEU AMOR

(Isabella Taviani)*

terça-feira, 19 de maio de 2009

Aquele em que amanheci...

...Cheia de lembranças e memórias.
Memórias...
Daquele short jeans que ficava perfeito em qualquer ocasião e me deixava uns quilinhos mais magra.
Daquela música que sempre tocava na hora certa. Das conversas desprendidas nas calçadas.
Da prova de matemática para a qual não estudara bem - nunca fui amiga dos números fossem primos ou não -.
Daquele enlatado americano que exibia "problemas reais e diálogos profundos";
Daqueles almoços de domingos quando não cabiam todos à mesa e tínhamos de nos arranjar ali mesmo pelo sofá.
Dos atores e cantores pelo qual nos apaixonávamos e sabíamos tudo sobre eles.
Da preparação para o vestibular e posteriormente na faculdade, as saídas nas sextas a noite para qualquer lugar e fazer mil planos sobre o futuro, que aliás é hoje.
Dos inesquecíveis cafés-da-manhã na cama no Dia das Mães e dos memoráveis Dia dos Pais com todas aquelas declarações e presentes.
Dos sábados quando voltava das longas odisséias e junto com ele trazia uma casa movimentada, com sons e cheiros peculiares. A casa ficava com um trânsito interminável, um entra e sai que parecia não ter fim, o cheiro incomum e delicioso que vinha lá da cozinha e Raul Seixas cantarolando alto e me perguntando com sua voz inconfundível o que eu queria ser quando crescesse?
Dos passeios à roça na carroceria de uma pampa cheio de uma molecada ávida por bagunça e a mente repleta de sonhos e esperanças.
Da camiseta velhinha e surrada, mas que me deixava com um ar sério quando pecisava ou assumia um tom casual quando fosse necessário;
Das brincadeiras no quarto de minhas primas com as paredes e portas dos guarda-roupas repletos de postêres de cantores ou atores americanos enquanto as observava se trocarem para "curtir a vida".
Das lembranças e histórias dos meus avós e de como havíamos chegado até aquele momento.
Daquela vida, daqueles sons, perfumes, vozes ...

terça-feira, 5 de maio de 2009

quinta-feira, 30 de abril de 2009

"O Amor é o fogo que arde sem se ver, é ferida que DÓI e não se sente..." *

A maioria das pessoas fala do amor como um sentimento belíssimo, uma experiência única. Um sentimento grandioso, inexplicável,...
E, quando esse mesmo sentimento sofre uma mutação? E, quando ele passa a ser obsessão, submissão, dependência?
Em que momento nós falhamos? Qual foi o "sim ou o não" errado que proferimos, e que nos tornou prisioneiros desse "estado de euforia"?
Por que delegar a outra pessoa a função de fazer você feliz?
Por que confiar a outra pessoa o DIREITO de ser feliz?
Por que será que alguns de nós, seres humanos, somos incapazes de ser feliz sem a necessidade de nos submeter aos caprichos e vontades de um outro alguém?
* Monte Castelo. Legião Urbana

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Gratidão

Estou em casa novamente, mas antes eu não estava? kkkk
Sempre estarei em casa. Aqui ou em Sobradinho.
Queria então agradecer...
Pelo carinho e pelo cuidado.
Pelo café, pela tapioca, bolo de milho...
Pela cama arrumada, pela preocupação se me alimentava bem.
Obrigada pelo amor, pelas conversas nas calçadas, na área de casa, no sofá...
Pelos filmes que assistimos juntos, pela sessão retro (ô povinho feio, hein! kkk) pelos conselhos e pela sabedoria da vida que compartilharam comigo.
Obrigada pela confiança, por toda paciência e pela força nos momentos que tanto precisei.
Obrigada por me querer sempre por perto mesmo quando minha companhia se tornava chata. kkk.
Obrigada. Muito obrigada mesmo pelas conversas sobre tudo e sobre nada. Sobre Deus , amor, família, fórmula 1, sobre novelas e relacionamentos...
Obrigada, Família.
A gente se ama não é?

quarta-feira, 15 de abril de 2009

"Longe da casa há mais de uma semana..."


Pois é. Estou aqui, mas dividida.
Nasci aqui. Cresci aqui, ou melhor, envelheci aqui. kkkk.
É sempre bom voltar. Mesmo sentindo falta dos que ficaram.
Meu sábio tio, perguntou: Por que temos essa enorme necessidade de nos relacionar? O que acontece que desejamos perto quem amamos? Queremos saber de suas vidas, suas conquistas, suas tristezas...
Por que ansiamos tanto pela visita de alguém? Um alguém que vem passa alguns dias, inunda nossa vida de novidades, altera nossa rotina e depois se vai. Sei lá. Ser humano é mesmo estranho. Ansioso. Misterioso. Egoísta e altruísta simultaneamente.
Eu sei que mesmo partindo e sentindo saudades daqueles que ficam, mesmo com os olhos marejados de lágrimas, um nó na garganta e um aperto imenso no peito, mesmo com raiva da separação e da distância, eu não desejaria viver de outra forma.
Eu não desejo viver de outra maneira que não esta.
Adoro cada carinho que eles têm por mim, cada mimo, cada atenção. A preocupação se estou me divertindo, dormindo bem, me alimentando bem - esta última então, kkk. Como em todas as casas que vou, janto no mínimo três vezes quando estou em Sobradinho. kkkk -. Adoro o interesse pela minha vida e pelos meus planos e, ultimamente, pelo meu Amor. A bem da verdade, eles sempre se interessaram como estava o meu pequenino coração e agora que ele está pleno, eles querem saber se tudo está mesmo indo bem. Falam que eu mereço. Que mereço ser feliz. Mereço viver bem...
Amo a minha família. Amo muito mesmo. Sinto falta de conviver todos os dias. Contar as novidades, visitar cada dia uma casa diferente... Nunca sei onde é minha casa mesmo. Se estou aqui, sinto falta dos que lá ficaram, mas quando eu for sentirei falta dos que aqui deixarei.
Nêssa deve saber bem do que estou falando, certo, prima? Espero que possamos sempre valorizar essses sentimentos, essas relações, pois só me fazem bem. Um bem enorme. Imensurável. Inexplicável. Indescritível.

"Está chegando a hora, é hora de partir, me dá um dor no peito ter de ir embora..."

quarta-feira, 1 de abril de 2009

'Os Seres Humanos me assombram' *



Acordei cedo e uma música se repetia na minha cabeça. Algum dia de Capital Inicial. Durante o dia inteiro fiquei cantarolando a música com minha voz de "taquara rachada", um talento nato. rsrs. Pois é. Uma parte especificamente não saia da minha cabeça: "É fácil fazer parte de um mundo tão pequeno onde amigos invisíveis nunca ligam outra vez, talvez, até porque ninguém ligue pra você..."

Ninguém liga pra gente? Ninguém tem amigos de verdade? Será que isto é mesmo verdade?

Eis que, no final do dia um grande amigo veio aqui em casa. Gosto muito dele. Um bom homem. Pai de família. Íntegro. Temente a Deus. Um Ser nobre, sabe? Aqueles raros que ainda acreditam na boa fé das pessoas, no que elas têm de melhor. Ele se esforça mesmo para entender os amigos e participar da vida de cada um deles. Se por acaso, você atravessar o caminho do meu querido amigo, fique certo de uma coisa: quando ele te perguntar se você está bem, ele quer mesmo saber se você está bem e se não for afirmativa a resposta, ele vai dedicar uns minutinhos do seu atribulado tempo só pra ouvi-lo (a).

Conversamos um pouco e, ele que sempre me ajudou, me aconselhou e me ouviu, hoje me agradeceu por retribuir-lhe o tempo dedicado, por conversar, por ouvi-lo. Agradeceu-me de uma maneira tão simples, verdadeira e singela. Disse que nessas horas conseguimos verdadeiramente separar nossos amigos daqueles que apenas nos dão tapinhas nas costas e desejam sorte e força.

Fiquei me sentindo estranha. Sei lá. Ele é sim, meu Amigo. Mas, quantos outros amigos ele têm? Ou eu tenho?

Lembrei imediatamente da música e percebi que a letra pode até ser profunda, bonita, mas para mim não serve, não se aplica a minha vida, é falsa. Recordei imediatamente de outra canção de Dinho (Capital Inicial) : Não olhe pra trás.

Isso mesmo. O título já é bem sugestivo. A letra é bem direta e objetiva. Gosto em especial desses dois trechos:

"...Nem tudo é como você quer / Nem tudo pode ser perfeito
Pode ser fácil se você / Ver o mundo de outro jeito...
...Como sempre estou / Mais do seu lado que você
Siga em frente em linha reta E não procure o que perder..."

Assim. Simples. São os amigos - tendo ou não laços sanguíneos - que estão 'verdadeiramente' mais ao nosso lado do que nós mesmos. Percebi que sempre têm um dos meus que creem mais em mim do que eu mesma.

Estou certa ou errada, Mãe,Val, Nêssa, Nelinha, Day, Meu Amigo, e agora Josué?
Vocês sempre estão à minha frente. Abrindo passagem. Quebrando grilhões e correntes. Deus faz isso em minha vida através de vocês.“Irei eu caminhando à tua frente, montanhas aplanarei, arrombarei portões de bronze e arrebentarei trancas de ferro. Isaías 45:2".
Há algum tempo, esse meu amigo me disse isso. Leu esta passagem bíblica pra mim. Hoje, devolvo-lhe as mesmas palavras sábias e verdadeiras.

Humanos. Sim, os seres humanos.


P.S. Desculpem-me pela longa postagem.
* A menina que roubava livros. Última frase de sua narradora.


segunda-feira, 30 de março de 2009

" Graças, Pai"


..." Um Pai que ama os que não merecem ser amados, que abraça os que não merecem ser abraçados e que escolhe os que não merecem ser escolhidos. Um Pai que quebra as regras ao nos desconcertar com seu amor tão surpreendente, um Pai que não quer se ocupar com os erros que você cometeu até o dia de hoje. Porque o amor que Ele tem por você, é um amor cheio de futuro. Ele não está preso ao seu passado e a Ele não interessa o que você fez ou deixou de fazer de sua vida. A Ele o que importa é o que você ainda pode fazer.” [sic]

[ Pe. Fábio de Melo]

domingo, 29 de março de 2009

Brawn GP?


Como assim? Pois é.
Emoção novamente na Fómula 1.
E, a Brawn GP (ex- Honda), equipe estreante, garantiu a dobradinha eletrizante.
Button e Barrichello em Melbourne, Austrália.
Será? Será?
Vamos torcer para que Barrichelo prove seu valor, valorize as oportunidades.
Eu, por aqui, descapitalizada assisto a corridas na madrugada esperando por Massa.
Confesso.
Boto fé nele. Verdade.

quinta-feira, 26 de março de 2009

Nem blogueira, nem "blogólatra" *


Day: Posta! Posta!
Dani: Eu não. Não sei escrever, menina! Só quis um blog para poder seguir vocês.
Day: Então vou parar de seguir você. Se não postar vai ser assim.
Aqui estou. Tentando.
Não sei mesmo escrever.
Falo muito, confesso.
Escrever não.
Digo escrever bonito. Como minhas irmãs e minhas primas (Day, Daniella, Nessa e Val).
Sempre acompanho os blogs delas, mas um meu. Sei não, viu! kkk.
Valquiria já havia pedido que eu criasse um.
Agora, minhas irmãs criaram.
Tenho uma leve sensação de que nada de útil aparecerá por aqui. kkkkk
Vou tentar, certo, Day?
Beijinhos

* blogólatra é Valquiria. Vanessa que a coroou .
P.S. Só para constar eu acordei Day mais cedo só para me ajudar a postar. kkk. Ela só acorda depois das 14h.